sexta-feira, 14 de outubro de 2016

A vida é mesmo esse misto de emoções e vivências difícil de compreender. Em um único dia, é possível suportar à tempestades e contemplar o arco-íris, e quem sabe qual o próximo episódio?
O passo seguinte é sempre uma escolha e, por consequência uma renuncia. Alguns tem sorte, outros tem fé, e quem é que sabe qual a jornada do êxito?
Como disse um cara sábio - "Todo mundo tem fome. Se não é de feijão e farinha, é de amor". Uns sofrem por não saber o que escolher, outros pela falta de escolha, e quem é que julga qual a maior dor?
Não existe manual, não tem padrão. O início, o meio e o fim são incertos. Há de se viver milhares de infinitos em uma só vida, mas quem é que vai dizer que não vale a pena?
14.10.2016

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

O frio que acontece lá fora emana aqui dentro
Vai tomando conta do sangue que circula em minhas veias
E, em um descuido alcança quem faz pulsar meus sentimentos
Logo eu, que sempre antepus a razão à emoção
Deixei as batidas ecoarem intensas nos meus dias
E você, sem nem saber, me fez desilusão
E das intensas palpitações, resta o apego 
Do aconchego criado em pensamento
06.10.2016

Teu silêncio causa minha tormenta
E o capricho do teu sorriso no meu peito 
Faz do meu pranto saudade do teu canto
Vem! E faz do meu outono
Primavera que acalenta o meu penar

04.10.2016

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

03/08/2016
Na minha história dois mil e dezesseis pode ser considerado o pior ano da minha vida, até então.
                Eu sou grata pelas coisas boas que possuo, mas sinto que a vida está me maltratando, tudo dá errado, todos meus planos, coisas que eu conquistei não possuo mais, os bens materiais e sentimentos.
                Tento ver pelo lado positivo, ver o quanto eu sou forte por aguentar as coisas, mas há momentos que tudo desaba.
                Eu não quero causar briga ou discórdia com meu pai, não estou fazendo birra, mas é muito difícil não ter apoio. Alguém que me pergunta duas vezes por mês se está tudo bem e realmente não se interessa pra saber se está. Eu pedi 36 reais por mês pra fazer um curso, ele negou, alguém que sempre disse que devemos estudar sempre. Eu disse que meu dente caiu, ele disse “que coisa”. Eu disse que fui assaltada, ele disse “é, tem que sair de foz”. Eu disse que ia pedir pensão, ele me bloqueou. Se ele ao menos tivesse dito que não tinha dinheiro, mas que tentaria me ajudar com o possível, mas eu não tenho apoio.
                Eu realmente sei que minha mae não pode me dar ajuda financeira, mas eu também não tenho apoio dela. As vezes acho que ela se apoia tanto em encontrar apoio em Deus, que esquece de buscar ou dar apoio a nós. O fato de ela não ser uma pessoa amável, não significa que eu sou suprida disso. Eu sei que ela me ama, mas ela me ama e só.
                Ela nunca escutou meus problemas e disse “Você vai conseguir, eu te ajudo”, é sempre “se vira, você trabalha, você é adulta”.
                Eu não pedi pra nascer, eu não pedi pra crescer e eu não tenho nenhum apoio, eu acho que nem sei o que é se sentir amada e apoiada.
                O meu irmão não sai do quarto, sei que ele tem 15 anos, mas ele é uma pessoa tão fria quanto a minha mãe. Se eu ficasse um mês sem falar com ele morando na mesma casa, ele nem se importaria.

                Eu tenho boas amigas, que tentam me ajudar e me apoiar, mas as vezes me sinto inferior. As vezes acho que não vou ter a possibilidade de ter um relacionamento com alguém por ser inferior. As  vezes acho que tenho que me contentar com pouco porque é o que eu mereço.

sábado, 18 de junho de 2016

Vivia sob a escuridão ansiando a luz
Naquele dia, fez sua primeira oração
Já havia feito tantas outras anteriores
Mas hoje houve uma fé genuína
Fez sentido sua conversa divina
Um raio de luz então, surgiu na escuridão

domingo, 10 de abril de 2016

São tantos sorrisos e trejeitos,
que do meu jeito
eu só desejo o seu

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Tive alguns motivos pra te chamar
Inventei milhões de assuntos pra suscitar
Me contive, quase enlouqueci
Me reinventei
Metade ainda lembra, metade ainda inventa

segunda-feira, 21 de julho de 2014

"Passo cada segundo do meu dia me jurando ser indiferente com você. Você fala comigo, eu cumpro a promessa. Você não entende, pergunta se eu tô chateada e o que aconteceu. Não foi nada. Só tô cansada de você, de nós, de tudo isso. Tô de partida, malas feitas, mesmo você não acreditando.Pra não me cansar mais ainda, paro no 'Não foi nada'. E você sai, irritado e com um "tchau" que eu odeio mais que tudo. Mas já não importa, tchau pra você também. Afinal, nada pode ser mais difícil do que ficar na situação que eu tô a tanto tempo. Ser indiferente vai ser fácil. Dor é normal, se não for forte, eu já nem sinto mais. Sempre te tratei melhor que todos os outros, e o que você faz que te torna melhor que eles? Seguindo essa lógica, teria o direito de te tratar até mal. Mas não sou assim, uma pena. Acontece que agora eu não dou mais o meu melhor pra quem me dá pouco. Não corro atrás de quem não dá um passo por mim. Não faço festa quando alguém que sabe que eu tô louca de saudades e não move um dedo pra me ver, vem numa droga de chat e fala "E ai". Te acostumei muito mal, mas agora vou desacostumar. Porque meu medo de ter perder, virou meu objetivo, então nada me prende. E se ir te matando aos poucos levar um pedaço de mim, que leve. Porque a dor de você na minha vida me afeta inteira e eu não aguento mais."

quarta-feira, 18 de junho de 2014